Amsterdam, Holanda

 

Quem nunca ouviu falar em Amsterdam, não é mesmo?  A cidade pitoresca, extremamente romântica, facilmente associada a muitas coisas, entre elas, canais, moinhos, tulipas e bicicletas. Sim, isso tudo existe e é verdade, mas se voltarmos um pouco no tempo, podemos conhecer o magnífico peso histórico que esse lugar carrega. Fundada em 27 de Outubro de 1275, Amsterdam é hoje uma das principais cidades mais visitadas do mundo e sem dúvidas faz parte de um país de primeiro mundo, mas tal reconhecimento não veio facilmente. Há quase 8 séculos a Holanda vem lutando e encarando obstáculos em busca de uma sociedade melhor e mais evoluída.

Pra começar, o nome do país não é Holanda, como muitos pensam, e sim Países Baixos (Nederland), cuja capital é Amsterdam, embora não seja a sede do governo holandês, e sim, Haia. Constituída de 12 províncias, estão entre elas, a Holanda do Norte, e a Holanda do Sul. — Uma explosão de desconstrução do que você conhecia como verdade, não é mesmo? Calma, vem mais por aí! (risos) — Herdou esse nome porque de fato é uma terra baixa, pois foi construída sobre o mar, com 26% do país a seis metros abaixo do nível do mar. Confuso, eu sei…

Os Países Baixos, no entanto, construiu e edificou seu território através de um elaborado sistema de pôlder, uma porção de terras baixas e planas, e diques. Para evitar a inundação, os holandeses criaram o sistema de canais, no início do século XIII. Como podemos ver, o projeto funcionou e permanece até hoje. Os canais não foram construídos apenas para embelezar a cidade, mas na verdade, eles possuem uma função extremamente importante. Devido a esses fatores, Amsterdam foi inteiramente construída sobre estacas, e hoje encontra-se recortada por 165 canais, semelhantes a veias de sangue, dando-lhe vida, e mais de 1.200 pontes.

(Fonte: I Amsterdam)

A cidade possui três canais principais, entre eles, Herengracht (canal do senhor), Prinsengracht (canal do príncipe), e Keizersgracht (canal do imperador), hoje alvos de turistas. E um rio, o Amstel, que não só nasce, mas também, deságua no mar. Os moinhos de ventos espalhados por todo o país são outro símbolo da longa batalha contra a água. Mil moinhos de vento ainda estão em funcionamento nos Países Baixos.

O país é conhecido hoje por oferecer a melhor qualidade de vida do mundo. Possui mais bicicletas que carros, com mais de 400 km de ciclovias, Amsterdam é um convite para quem ama se divertir sobre duas rodas. Além do mais, foi o primeiro e único país até hoje a retirar animais de rua, com altíssima proteção aos animais. Famoso pela sua liberalidade, foi o primeiro país a legalizar o casamento homossexual, a eutanásia, o aborto e a maconha. Com tolerância social, um país onde todos se respeitam, independente da sua etnia, religião, opção sexual, etc.

A cultura holandesa é no mínimo encantadora. Com festa tradicionais, como, Koningsdag (Dia do Rei), é comemorada no dia 27 de Abril, onde o país inteiro pára com o objetivo de festejar o aniversário do rei. Segundo a tradição, todos saem nas ruas vestidos de laranja, já que o sobrenome da família real é Orange (laranja, em português). Nessa festa os holandeses têm como costume montar pequenas barracas nas ruas e parques e vender objetos que não lhes servem mais, por preços extremamente baixos. Outra data comemorativa é a do Sinterklaas (ou, Noite de São Nicolau), comemorada no dia 5 de Dezembro, e tem como público alvo as crianças de todo o país. Sao Nicolau foi um bispo que ficou conhecido por sua caridade e afinidade com as crianças, e após sua morte foi canonizado pela igreja católica. Hoje em dia, a festa do Sinterklaas possui alguns rituais, como em todos os anos no dia 13 de Novembro Sinterklaas chegar a Holanda de navio montado no seu cavalo branco, acompanhado de seus 3 ajudantes, os Zwarte Piets (Pedro Petro), o quais verificam se o comportamento das crianças foi realmente bom. É de costume que as crianças coloquem então, meias penduradas na lareira e sapatinhos no chão com uma cenoura dentro, para o cavalo de São Nicolau. Assim, após recolher a cenoura, o presente é deixado no lugar juntamente com doces, bengalinhas coloridas de açúcar, moedas de chocolates e o famoso Pepernoten, um mini cookie de canela.

(Fonte: I Amsterdam)
(Fonte: I Amsterdam)

Eu vejo a Holanda como minha segunda casa, não está no meu sangue mas está no meu coração, pelo fato de ter tido a oportunidade de morar nesse país encantador desde muito nova e recentemente. E é claro que jamais esconderei minha paixão pelo local e sua cultura. Posso dizer que Amsterdam me cativou pela sua essência e pela sua originalidade. Não é por menos que a cidade ficou conhecida como Mokum Paradise, uma palavra de origem hebraica, cujo significado é Porto Seguro.

Clique aqui para ler mais sobre o turismo em Amsterdam.

Leave a comment